Tempus fugit, vita brevis- Live life!

Traduzindo o título: O TEMPO PASSA, A VIDA É BREVE- Viva a vida! E é por isso que eu não quero passar "em branco" pela vida, a não ser que o fundo de onde eu venha escrever seja preto, assim como esse! Eu escrevo, vocês lêem, combinado?!

quinta-feira, outubro 26, 2006

PESSOA AMADA

Hoje, resolvi escrever sobre um cara que tenho singular admiração e conhecimento, um cara que conheço à algum tempo e que até se parece comigo (que ousadia a minha!). Esse cara foi um dia bebê pequeninho, indefeso, nasceu numa cidadezinha pequena na Paraíba que confesso, nunca sei o nome direito, não sei se é Lagoa grande, Lagoa nova, Lagoa seca, enfim, é uma lagoa dessas da vida. O primeiro de uma leva de mais 3. Ele foi crescendo, tornou-se criança, empinou pipa, jogou pião, brincou com carrinho de lata, jogou bola, tudo bem que não era lá esse craque todo, esse aspecto, ele realmente não puxou ao filho. Ele passou por muitas privações durante toda sua vida inclusive nesta época também, privações impostas pela vida humilde e batalhadora que sua família enfrentava. Foi nessa mesma época que ele iniciou sua carreira profissional, tornou-se um comerciante mirim ajudando o pai em sua mercearia, seu pai que, aliás, era exemplo de homem íntegro, honesto, com um coração maior que ele próprio, grande ZÉ! Essa criança foi crescendo, tornou-se um adolescente como tantos. Dividia seu tempo de estudo com o trabalho. Inclusive se fosse pelo seu pai que não dispunha de cultura suficiente para saber o valor dos estudos, ele teria enveredado de vez para o caminho com comércio informal pois “homem que é homem se forma pela vida”. Por causa de situações impostas pela vida nessa época, desagradável acontecimento assola sua vida, seu pai enfrenta problemas de saúde e eles têm que abandonar tudo que construíram na vida até então com esforço, reunir recursos e se mudam para o Recife para recuperar a saúde do Zé, todos os recursos são destinados à recuperação do velho, e ele vence mais essa! É logo após essa fase que ele sabe
que terá que seguir seu rumo dali em diante, traçar seu destino sem a proteção de sua família. Trabalho, estudos, mora de favores e recebe a ajuda de amigos das antigas e é aí que ele diz: “Vou vencer e vou sair dessa!” Estabelece uma meta em sua vida, “ser militar e ingressar na academia militar das agulhas negras- AMAN”. Vai então de encontro a um concurso que normalmente só aprova alunos do até então prestigiado Colégio Militar. Mas ele elege isso como sua meta e cria as condições para que seu sonho se realize. Luta contra a própria natureza e começa a abandonar seu corpo até então franzino, desprovido de musculatura (que saudade daquele “corpicho”, hein?!), fabrica seus próprios alteres e inicia corrida desenfreada contra a busca de um corpo musculoso ou ao menos, com um bocadinho a mais de músculos. Infelizmente, não deu dessa vez. É hora de por o plano “B” em prática, “vou ser matemático”. Faz vestibular para matemática e é aprovado. Inicia o curso mas, constata que aquele não era seu ramo. Nova mudança de planos e ... ENGENHARIA ELÉTRICA, esse curso é “O” canal. Inicia o curso e segue em frente com muita luta e batalhas diárias. É durante a execução do curso que começa a nascer um grande Mestre da Matemática, ele começa a ensinar e logo logo, torna-se um dos mais requisitados professores de matemática da cidade de Campina Grande, ensina em colégios renomados e de tradição, Damas, Redentorista (que era a Escola Técnica de lá), cursinhos pré-vestibulares, etc. É durante o curso que esse cara conhece uma mulher linda, maravilhosa, uma Miss literalmente com quem inicia o relacionamento que a posteriori viria concretizar em casamento. As batalhas para estudar eram imensas devido à questão de ter que conciliar estudos e trabalho- seu sustento, ainda mais num curso pesado como é o curso de engenharia elétrica, eu bem sei disso por experiência própria! Lembro bem de uma estorinha que ele me contou e que até hoje aperta meu peito e enche meus olhos de lágrimas, como agora... Devido à falta de tempo para estudar ele vai fazer uma prova e não consegue se sair bem, amarga um desempenho fraco e vem a nota baixa... É vencido nesta batalha! Choro... Tristeza... Os amigos consolam... Até o próprio professor da matéria bate em seu ombro e diz: “Rapaz, eu sei que você pode mais que isso e o que aconteceu não é sua culpa”. Mas ele segue em frente, contra todas as adversidades que a vida lhe impõe e... Torna-se Engenheiro Eletrônico pela Escola Politécnica da UFPB no distante ano de 1970. Ali começa a nascer um profissional de destaque na engenharia. Logo em seguida, sua vida pessoal tem nova mudança e em 1971 ele se casa com a Miss e começa a construir sua família. Após a conclusão do curso de engenharia, ele continua sua carreira de professor que vai aos poucos perdendo terreno para o engenheiro e assim se concretiza tudo, começa seus trabalhos na empresa de telecomunicações de Campina Grande como engenheiro, logo em seguida, galga degrau mais alto, ousado, através de convite de um professor que o admirava torna-se Diretor das Telecomunicações da Paraíba, cargo de destaque que só profissionais de renome e experiência conseguiam ocupar. Em 1972 nasce sua primeira filha, uma garotinha que teve destaque até nos jornais locais. Logo após, 1975 nasce seu primeiro filho, esse que viria a lhe dar algumas alegrias além de pregar grandes sustos durante sua infância. Alguns contratempos surgem na sua vida, superados. Nasce mais uma garotinha em 1977, linda menina. Mais uma mudança e toda a família vem para Olinda aonde fixam moradia no ano de 1979. Já em 1980 mais um integrante para prole, um novo garoto vem integrar a família. A sua vida continua sendo construída, com batalhas diárias, vitórias, perdas infelizes... Neste mesmo ano de 1980 vai embora de repente seu pai, o Zé é furtado brutalmente de sua existência, muita tristeza... Irreparável perda! Um perda muito sentida, sentida até pelo fato de terem tantas coisas a viver juntos, “Poxa, logo agora que a vida vai tomando seu rumo...!” Sei o quanto ele gostaria de conversar com seu pai, ligar para ele do trabalho e matar a saudade, revê-lo nos fins de semana em Campina Grande e dar abraço caloroso e forte no grande Zé, sair com ele para tomar umas e outras, conversar potocas, receber seu carinho sempre tão grandes enfim, dispor de sua atenção... Enfim, a vida continua entre perdas irreparáveis e conquistas gratificantes. Daí em diante sua vida segue rumo predestinado pelo seu esforço, a Telecomunicações de Pernambuco o acolhe até sua aposentadoria e sua carreira profissional é construída por lá. Ainda tem passagem pela Vésper, prefeitura de João Pessoa e outros. Novos contratempos e o relacionamento que já não vinha lá essas coisas se desfaz. Casamento desfeito. Nova investida, nova companheira que por sinal, o acompanha até hoje o apoiando e o acalentando em todos os momentos. Esta nova companheira também é personagem de um capítulo novo e gratificante em sua vida, o nascimento de mais um ferinha para a turma dos irmãos, o caçulinha... Foi com grande satisfação e orgulho que resumi aqui um pouco da história de vida de ninguém menos que meu Pai, Platão.
Durante muitos anos meu pai foi um cara mais sisudo, fechadão, nunca expunha seus sentimentos de forma clara, creio que por tudo que viveu. Engraçado que brincar com ele era momento raro, acho que ele tem o sentimento de que adulto é adulto e criança tem que ficar no seu lugar. Infelizmente... Por causa disso, eu creio que deixamos de passar gratificantes momentos em nossas existências. Raros os momentos de carinho aberto, escancarado, acho que é assim pelo estilo de vida dura que teve. Talvez essa mesma vida não tenha lhe mostrado os caminhos da exposição gratuita de afeto e carinho, não que por isso ele não sinta mas, sente e demonstra de SUA forma, à sua maneira que é bem diferente da minha que é mais de exposição (basta o fato de estarem lendo este texto para constatar). Durante muitos anos eu e meu Pai tivemos nossas desavenças, eu aqui, ele lá. Ficamos sem nos falar mesmo. Passou... Hoje, sou adulto, cresci, superei algumas barreiras que me foram impostas pela vida e já conversamos muito, já falei para ele de tudo que sentia, conversei abertamente, nem sei se ele se lembra mas ali eu expus muito do que sempre queria ter falado, foi um desabafo de uma vida, me fez bem, espero que a ele também pelo fato de um filho ter se dirigido da forma que eu fiz, tão aberta e desprotegida. Superadas essas barreiras, creio que a maturidade me faz hoje pensar não no que passou pois tudo isso passou e sim, no que acontece atualmente e no que poderá vir adiante. Sei que todos temos nossas diferenças, cada pessoa é um mundo. Aprender a respeitar essas diferenças faz parte de uma grande lição que a VIDA nos propicia e que eu estou com muito esforço tentando ser seu melhor aluno. Quando aprendemos a aceitar o outro como SER tudo fica mais fácil, não simplesmente aceitar as diferenças pois em si, só isso já traz conflitos pessoais, aceitar pessoas! Existiu um grande homem que passou isso muito bem, seu nome era Morrie Schwartz e ele relata muito bem esse tipo de experiência no livro “A última grande lição” , escrita por Mitch Albom, um grande livro para ser lido sem dúvida. Existem muitas diferenças entre eu e meu velho, principalmente no que diz respeito à forma de demonstrar sentimentos, na forma que encaramos a vida e o valor que damos a cada coisa que nela está presente, temos nossas semelhanças também, até físicas! Não quer dizer que por enxergarmos a vida de forma diferente que eu estou certo ou ele errado, apenas pensamos diferente sobre alguns valores. Acima de tudo, somos homens com caráter, honestos e íntegros, qualidades que herdei com muito orgulho. Hoje, estas diferenças me servem como fonte de conhecimento para me tornar uma pessoa cada vez melhor. Meu Pai está mais presente a cada passo dado, sinto que nossas vidas estão nos unindo com o tempo. Aproveito o momento e vou fazendo minha parte, não impondo as barreira que antes apareciam involuntariamente. Conseguimos na vida tudo aquilo que buscamos e procuramos. Hoje, busco harmonia, tranqüilidade, equilíbrio, paz. Hoje acima de tudo, quero meu pai aqui, ao meu lado, seja com suas qualidades que são grandes, inúmeras, seja também com seus defeitos humanos. Acima de tudo, gostaria de prestar mais uma vez minhas homenagens a este homem que faz parte de minha vida e que no último dia 24 de outubro completou mais um ano em sua existência que agora somam 62 anos de muitas histórias e resenhas. Que os seus anos vindouros meu velho, sejam repletos de muita saúde, paz e tranqüilidade, você merece!!! Sua benção meu pai e saiba que AMO VOCÊ!

12 Comentando o que pensam:

  • At 3:49 PM, outubro 26, 2006, Anonymous Ina said…

    Lindo, maravilhoso!!!!!!!!!!!!

     
  • At 4:15 PM, outubro 26, 2006, Blogger Laura said…

    Que textão, heim?! Ufaaaaa :)
    Mas, que bom que as diferenças foram superadas e que hoje vocês são amigos. Isso, não a nada no mundo que pague. Aproveite, curta e explore mesmo seu pai. Vocês merecem. Beijos no coração. Te amo.

     
  • At 4:35 PM, outubro 27, 2006, Anonymous Flavinha said…

    muito bom miguxo. bem sua carinha esse texto, meigo e amoroso
    familia e tudo de bom, e meu pai e um SUPER-PAI, vc bem sabe o quanto adoro ele, pena estar tao longe mas, sempre sinto ele perto pois sei que nossos coraçoes estao sempre ligados.
    adoro tu, visse? beijinhos doces p/ vc

     
  • At 4:36 PM, outubro 27, 2006, Anonymous Flavinha said…

    saudades de vc e de nossas conversas tb
    mais beijos

     
  • At 9:40 AM, outubro 28, 2006, Blogger Sheila said…

    Lindo texto,moço. Parabéns! E parabéns para o seu pai pelo aniversário e pela bela história de vida.

    E vc, hein?! Já sabe como vai ficar quando os anos passarem e os cabelos perderem a cor...rs

    Beijo!

     
  • At 9:42 PM, outubro 29, 2006, Anonymous Dani said…

    Que lindo amigo!!!
    Poxa me emocionei, que linda homenagem.
    Você é a cra do seu pai, com a ressalva de que ele tem mkais juízo, afinal torce para o Glorioso SPORT.
    As diferenças que a vida nos impõem nos faz crescer e amadurecer com mais solidez. E mesmo existindo as diferenças, "ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais"
    beijosssssssssssssssss enormes e um abracinho bem apertado.

     
  • At 9:59 PM, outubro 29, 2006, Anonymous Sheila said…

    Hum...Respondendo ao seu comentário...Continuo com a minha opinião sobre o debate. Evidentemente, se seus amigos gostam de frases de efeito,ironias, metáforas e "linguagem popular", o candidato deles deve ter sido o melhor mesmo. Eu não me nivelo por baixo, no entanto. Prefiro pessoas de linguagem mais culta e argumentos mais sérios. Coisas da elite, sabe como é.

    Sobre Ariano Suassuna, adoro...Como escritor. Até foto com ele eu tenho. No entanto, devo discordar de sua opinião política. Não acho que o "Presidente" seja um homem sábio ( a não ser para comprar votos ). E, moço, não vou admitir isso só pq vc quer ou porque algum artista, escritor ou sei lá mais quem afirmou isso. Minha opinião sobre Lula continua a mesma: um erro, um ignorante, um despreparado. Um homem sem qualidades, como já lhe disse.

    No entanto, ele ganhou de novo e isto não posso mudar. Que faça um bom governo, se conseguir.

    A minha vitória, no entanto, é saber que uma parte da população (ainda que pequena) não se deixou levar pelas suas mentiras, nem é cúmplice dos "aloprados" que ele levou consigo para o poder. E eu me orgulho MUITO de fazer parte deste percentual.

    Coisas da elite, moço. Da elite!

    Beijo!

     
  • At 10:16 AM, outubro 30, 2006, Anonymous Sheila said…

    Querido e indignado amigo Adonis,

    Rever meus pensamentos e opiniões??? Não mesmo, querido. Estes já estão bem firmados. Que mania esta sua de querer por querer que eu "admita" ou reveja alguma coisa, hein?! Se vc votou no Lula, ou se não votou, ou se acha que ele seja um gênio ou algo parecido, palmas para vc. EU não acho. E vou continuar não achando, certinho, "companheiro"?!
    Quanto a sua colocação sobre a vida em sociedade e uma suposta mudança para a Lua, sabe que achei bem interessante? Uma sociedade que reelege um apedeuta de fato não merece confiança e, talvez, a Lua seja mesmo uma boa opção. Pensarei com carinho nisto, prometo.
    Ah, sobre o "golpe militar"...Sinceramente, golpe mesmo seria se os militares tivessem deixado os comunistas tomarem conta deste país (bate na madeira três vezes!). Aquele "povo" daquela época estava errado de novo, achando que Cuba era aqui. Tão errados que abandonaram as armas (terroristas como a Ministra da Casa Civil)e hoje mamam nas tetas do governo (Zé Dirceu, Genuíno...e demais guerrilheirozinhos do passado). Por mim, encaixotava todos e mandava de presente para o Fidel.
    Ah, e sobre o Reinaldo...Releia o meu texto, tá? Ele foi baseado na minha opinião particular e não na de ninguém. Apenas citei (liberdade literária, sabe?) o texto de alguém que pensa como eu,felizmente. Mas, mesmo sem tal citação, o que escrevi teria o mesmo sentido: o de que Lula é um desastre. Não me subestime, moço.

     
  • At 10:17 AM, outubro 30, 2006, Anonymous Sheila said…

    Diferentemente de certas pessoas, não preciso de ninguém para falar por mim o que EU mesma penso. Se alguém votou em Lula por vontade (ou loucura) própria, ótimo. Mas, se foi pq Chico ou Ariano falaram...Me poupe! Paulo Coelho tb vota em Lula e grande droga que é! Como disse, apenas citei o Reinaldo pq ele pensa como eu ( ao menos sobre o Lula). Mas, se vc se sentir ofendido por ele escrever na Veja, esta "revista reacionária, elitista, etc e tal", não precisa ler não, ok? Fique só com os meus textos golpistas mesmo.
    E sobre criar uma ONG para fiscalizar as contas do governo...Moço,não seja ingênuo.Este governo não é caso de ONG, não. É de Polícia mesmo! Deixa "os homi trabaiá", que,qq hora dessas, eles pegam o chefe da quadrilha.

    Beijos da sua amiga da ELITE!

    P.S: Obrigada pelo desejo de boa sorte para os próximos quatro anos. Todos nós merecemos!

     
  • At 12:52 PM, outubro 30, 2006, Anonymous Sheila said…

    Blá, blá, blá...Sabe o que descobri hoje? Ariano cobra R$10.000,00 para opinar sobre algum assunto. Que legal, hein?
    Quanto à Veja, não leia não, moço. Vá basear suas opiniões consistentes na Carta Capital ou no Blog do Zé Dirceu (Eba! Ele tb tem um!) ou no do Noblat, que é um jornalista "sem crédito e parcial" como o Reinaldo..rs A diferença é que puxa o saco do Lula..rs
    E vamos lá, moço. Comigo, cantando: "É LULA DE NOVO COM A FORÇA DOS TOLOS!" KKKKKKKK

    Beijos da surtada da ELITE!

     
  • At 1:48 PM, outubro 30, 2006, Anonymous Sheila said…

    Ah, moço, claro que tem quem pague. Se o governo compra deputados, pq não pagaria pela opinião de um escritor, né? Afinal, R$10.000,00 não são nada para quem paga milhões por um falso dossiê.
    Quanto ao apoio de Ariano a Eduardo, era de se esperar. Afinal,"Eduardo Precatório Campos" apoiava o apedeuta, né? Mais algum dinheirinho e ele apoiaria qq um..rs..rs
    Ah e minhas opiniões vêm da Veja, dos jornais da TV, da imprensa escrita, das revistas internacionais (aquelas que o apedeuta renega), da Internet...Enfim, de todos os lugares. As que se salvam, eu aproveito. As que não, eu filtro. Ah, não se esqueça de mencionar e criticar que eu tb leio o Digo Mainardi, viu? Ele consegue ser ainda mais parcial do que o Reinaldo e isso irrita tanto os petralhas! KKKKK
    E, sim, se eu conseguir trabalhar fazendo jingles para o Casseta e Planeta, acharei ótimo. Sabia que o governo considera o programa como "nocivo à pátria"?! Ou seja, viva ao Casseta! Eles tb sabem como irritar os vermelhinhos!Viva a nós, os nocivos à pátria! KKKKK
    E vamos lá, mais um: "LULA PARA PRESIDENTE...PARA PRESIDENTE BERNARDES!"KKKKKKKKKKKK

     
  • At 11:32 AM, novembro 05, 2006, Anonymous Platão said…

    Olá FILHÃO!
    Somente hoje é que tive a oportunidade de ler o seu escrito sobre a minha vida. Confesso que fiquei surprêso com os seus registros mentais sobre os momentos e eventos que compuseram a minha vida, até então. Independente de maiores considerações fiquei sensibilizado pela abertura do seu coração para algumas etapas das nossas vidas, nas quais os sentimentos de amizade ou de contestação estavam mais evidentes. Quando somos premiados por Deus na condição de PAIS, temos o DEVER de oferecer tudo aquilo o que de melhor se pode dar ou fazer para os filhos. É neste momento que corremos o risco de fazer coisas indesejáveis. Mesmo imbuídos dos melhores propósitos, nem sempre somos compreendidos temporalmente sobre os rumos sugeridos para a vida dos filhos. Apenas com o passar dos tempos, e na condição de adultos já melhores formados pela escola da vida, é que surgem os entendimentos dos por quês de situações passadas. Tenho no meu íntimo a certeza de que busquei sempre o melhor que poderia dar para a vida de cada um de vocês. Se não fiz melhor, deveu-se a minha própria incapacidade de perceber outras alternativas. Em todas as ocasiões em que faço as minhas introspecções e levo os pedidos e agradecimentos a Deus, ressalto o orgulho pelos FILHOS que tenho. A integridade, a ética, a honestidade, a garra, o comportamento, o respeito e a luta por uma vida mais valorada, são pricípios que todos vocês tem com destaque. E isto muito me orgulha!
    Se não pude deixar-lhes um maior patrimônio material, consegui o que muitos pais sonham para as vidas dos seus filhos: VALORES e PRINCÍPIOS DIGNOS.
    Rogo mais uma vez a Deus que ilumine e oriente os seus caminhos como também dos seus irmãos, ficando com a certeza de que eu sou o maior premiado nesta história. Beijos e abraços do pai que muito lhe adimira e ama incondicionalmente.
    Platão

     

Postar um comentário

<< Home